quinta-feira, julho 24, 2003

São Tomé

Fradique de Menezes, empresário da noite lisboeta (dono da bem frequentada discoteca BBC) e presidente de S. Tomé, voltou ao país. É pena. Alguns hipócritas do Portugal democrático, que ajudaram a fazer a Revolução de Abril, lamentaram a espécie de golpe de Estado em São Tomé, clamando pelo regresso ao respeito pela Constituição. Num país corrupto até ao pescoço, onde a população vive na miséria e os dirigentes incham diariamente a dívida ao Banco Mundial com os seus luxos, a expressão "regresso ao respeito pela Constituição" só pode ser uma piada.

A prova última da podridão do regime foi a presença de Olusegun, chefe de Estado da Nigéria, um país dominado pelo terror como se sabe, na assinatura, ontem, do acordo que pôs fim à esperança.

Sem comentários: