domingo, outubro 05, 2003

Monólogo de um blogocromo

num restaurante de comida exótica da capital, já a garrafa Dão Meia Encosta vazia:

- Não, o Pedro é conservador mas não é católico, no sentido institucional - diz o jovem excitado, bem alto, camisola de fato-de treino cor-de-laranja, tipo vocalista dos Blur, para tédio da interlocutora, uma jovem bonita, suavemente freak.

Ele escreve num blog e não só. Ela provavelmente também. O jantar não tem romance.

- O Pedro é católico, mas não em termos de religião de Estado...
E blá, blá, blá, passa-se do poeta Pedro para análises políticas igualmente brilhantes, mais abrangentes, sobre direita e esquerda, com o teórico a explicar que a direita é reformista e só a esquerda revoluciona e faz progredir o mundo.

Nada trava a verborreia. Nem o facto dela começar a enviar SMS. Ele prossegue eufórico, comenta outros autores da blogosfera. Sempre com o mesmo fervor, a mesma responsabilidade intelectual. Ela olha para a mesa do lado, maçada. Não se janta com um blogocromo.

Sem comentários: