sexta-feira, outubro 17, 2003

O Guerra e Pas está de volta

Um dos "bloggers" que melhor escreve sobre jornalismo regressou e aborda um dos temas clássicos da deontologia e da ética. A vida privada dos políticos diz respeito ao jornalismo? Um político que apregoa eleitoralmente o casamento e a fidelidade e é, afinal, um putanheiro de primeira apanha não deverá ser desmascarado? O assunto é também abordado pela Ana, do Glória Fácil, pelo Francisco José Viegas, e pelo comandante, agora à distância e sua insurrecta tripulação. O comandante traz argumentos válidos e estruturados, contra a opinião do Guerra e Pas, que a Ana, de alguma forma, sintetiza muito bem: "Para fazer o escrutínio da política através do domínio irracional que, por definição, é a vida íntima, não contem comigo", diz.

Ora, por princípio, sou desta opinião. Mas admito que haja situações que não são claramente do domínio do irracional. Não me parece, por exemplo, do domínio do irracional que um governante homossexual, conservador e democrata-cristão, apareça, sistematicamente, em revistas cor-de-rosa dançando e simulando "flirts" com uma mulher bonita do "jet set" em momentos cruciais da vida político-partidária.


Sem comentários: