segunda-feira, novembro 23, 2015

Futre

Ouvi dizer que o grande Futre tinha um programa de televisão (até que enfim!). Fui ao Youtube à procura e encontrei isto:



E o bom é que dá para voltar atrás e ver outra vez!

quarta-feira, novembro 04, 2015

O Núcleo Duro existe. O Núcleo Duro endossa. O Núcleo Duro apoia. O Núcleo Duro arrebanha. O Núcleo Duro lida. O Núcleo Duro fornica. Sempre duro, sempre núcleo, sempre, sempre, sempre!

sábado, outubro 10, 2015

Nomes do Núcleo

Breve tipologia dos nomes dos membros do Núcleo:

TIBERIUS

O nome do meio do capitão Kirk. Quê, julgavam que tinha a ver com romanos? Néscios.

ERNESTO


Uma homenagem sentida a Ernesto Geisel, ex-presidente do Brasil e popular modelo de gravatas-borboleta. Quê, julgavam que era da peça do Oscar Wilde? Néscios.

EL CABLOGUE



Referência ao nome carinhoso por que o consorte da Rainha Vitória a tratava na cama quando ela só vestia as suas elegantes calcinhas (nota: as cuecas da foto são genuinamente da rainha Vitória). Quê, julgavam que era um trocadalho do carrilho com o El Kabong? Néscios.

DJ SO BIG

Referência a uma célebre viagem do próprio à Tailândia em que uma funcionária da indústria hoteleira se referiu ao apêndice de DJ em termos algo jactantes; "O senhor tem um nariz muito grande." Quê, julgavam que era o penissse dele? Néscios.

VOSTRADEIS

Referência ao livro de Fernando Gonzales: "Nas suas perambulações pelas florestas e aldeias medievais, o mago Vostradeis se defronta com demônios, donzelas e escoteiros leprosos". O nome vem da donzela e do escoteiro leproso. Quê, julgavam que era do mago? Néscios.

ZIZOU

Origem desconhecida.

terça-feira, setembro 01, 2015

Índex do Núcleo: Posts  do Núcleo

Indubitavelmente, uma das rubricas menos populares deste blog é o Índex do Núcleo, onde se classificam coisas avulsamente. A pedido de rigorosamente nenhuma família, a rubrica é aqui ressuscitada.Índex, como toda a gente sabe, especialmente os senhores da Porto Editora, significa "ponto de referência, deslocável, que indica a leitura a fazer numa escala de certos aparelhos ou instrumentos de medida".

A escala é de 0 a 5. Hoje: na sequência da última edição de Índex do Núcleo, os excrementos humanos segundo a tipologia da escala de fezes Bristolcontinuamos hoje com a análise escatológica falando das rubricas fixas do Núcleo:


O meu pai andava em viagem

É o humor no seu estado puro: notar que certos fulanos são parecidos uns com os outros. Há outro site capaz de vos dizer que o David Luiz é parecido com o Sideshow Bob? Há. De facto há. Até há-de haver muitos Mas este é o nosso, e a secção era esta, e de facto são parecidos, e ainda se pode falar no Sideshow Anderson Varejão. Enfim, uma secção tão boa que por vezes até era conhecida por outro nome, secção "A tua Cara não me é Estranha!". Nota: 3

Escutas do Núcleo


Secção paradigmática do Núcleo, lá cabia tudo e mais alguma coisa, algumas delas sendo até verdade. O tag "escutas" é como um abre-te sésamo do mundo moderno; estão lá dentro quarenta ladrões e mais coisas de que eu não me lembro (o ali babá era um dos ladrões ou era o gajo que entrava na caverna? De qualquer modo, também há-de haver escutas do ali babá). Enfim, exemplo representativo duma escuta: "José Sófocles: Quem? Não conheço. Mas é metê-lo no manicómio." Nota: 4


Alta Arte


Onde os membros do Núcleo exibiam a sua veia culturálico-hipster discorrendo sobre Arte que lhes parecia ser Alta. Rapidamente contudo o nível da crítica cultural regredia para a habitual poesia porno gay:"Nunca te foram ao cuNem nas perninhas, aposto!Mas um homem como tu,Lavadinho, todo nu, gosto! Nota: 2

Os donos do garfo
Crítica gastronómica dos membros do Núcleo, sempre interessados em informar as massas sedentas de saber onde é que Ernesto enche o bandulho ou como é que Vostra mantém a linha. Rubrica sobre o que entra para as goelas do Núcleo, era apenas ligeiramente mais popular que a sua sequela, "Os donos do papel higiénico". O momento alto da rubrica é o célebre affair Locanda, iniciado por esta genial e pertinente crítica de Zizou à pizzaria Locanda, de Canelas, Vila Nova de Gaia

"LocandaCanelas, Gaia
pizzas, francesinhas...
A especialidade são francesinhas, diferentes porque levadas ao forno. Eu comi um bife coberto com tiras de presunto, com batatas fritas às rodelas e molho de tomate. Estava bom, embora não magnífico. Também dizem que as pizzas são boas."

Não é exagero dizer que nenhum outro site na Internet debateu tão aprofundadamente o restaurante Locanda. Nota: 3


As paredes têm bocas/ As coisas que aprendi/ Citações do Núcleo/ Debates do Núcleo / Respos, etc.


Tal como 90% das rubricas fixas do Núcleo, todas estas tratavam-se essencialmente de desculpas mal parida para os membros do ND se insultarem uns aos outros e ao mundo em geral, cumprindo assim a sua razão de existir. Ah, e havia a tag Respos. Sobretudo a tag respos.  Nota: 5


Índex do Núcleo

Sem salvação. 

Nota: 1

quinta-feira, março 26, 2015

Aqui está, para quem possa pensar a partir da aturada leitura deste blogue, nosso veículo de comunicação, que o Núcleo Duro está inactivo. Não estamos não, apenas temos estado em silêncio como uma forma de protesto. O que nos incomoda na vossa atitude, celerados admiradores do núcleo? Que nunca nos tenham feito um hino assim tão belo, que nunca nos tenham agradecido por esta prosa tão hirsuta.


sábado, fevereiro 21, 2015

Faça o seu próprio VPV



A pobreza de postagens neste blog deve-se a um trabalho aturado e incessante do comité científico do Núcleo para construir um poderoso dispositivo ao serviço dos seus leitores: o gerador de colunas de Vasco Pulido Valente.

Basta substituir as partes em itálico por qualquer coisa que esteja nas notícias para fazer a sua própria coluna de Pulido Valente, biológica, sem aditivos, corantes nem conservantes, preservada em madeira de carvalho, indistinguível do produto original.

Eis então:

Portugal e ["Substantivo"]

Por Vasco Pulido Valente

Diz-se agora por aí que [coisa que se lê nos jornais]. Tal dislate só se explica por uma profundíssima ignorância e desconhecimento do que é Portugal ou a "Europa". Ainda noutro dia [figura pública qualquer] disse [num programa de televisão que ele viu] que [frase qualquer sobre um tema da moda].

Mas as coisas são como são. Como qualquer pessoa com a mais ínfima noção das coisas saberá, ["substantivo" com aspas irónicas] nunca foi assim. Basta recordar que [episódio obscuro do século XIX com uma muito vaga relação com o tema da moda].

Se [figura pública] acha que ["substantivo" com aspas irónicas], ele lá saberá. Só quem seja totalmente desprovido de cultura e, além disso, use, com frequência, um exagero de vírgulas, é que poderia achar que ["substantivo" com aspas irónicas] é ["adjetivo" com aspas de desprezo]. Só meia dúzia de "iluminados" que passeia a sua ignorância poderia pensar [ideia vagamente positiva].

Infelizmente [ideia vagamente positiva] é uma ilusão. [Portugal, a Europa e/ou o mundo] é exatamente igual ao que era no século XIX. Nada muda nunca. Quem não percebe isto não percebe nada.