quinta-feira, junho 07, 2018

ебать - Tiberius antevê o mundial

Quem é que está entusiasmado para mais um mundial, hã, hã?



Zzzzzzzz, mundial quê?


Pronto, tá bem. Não estou muito entusiasmado com este Mundial. É um Mundial que tinha tudo para ser bom, tirando que não está lá a Itália e que  é organizado num país governado por um fascista / modelo de calendários gay:


Ditador da Rússia? Membro dos Excesso? Chippendale?

Alas, este Mundial vai ser uma merda, porque...

...Não, atenção, o árbitro está a andar às arrecuas... e... e... e parece agora estar em comunicação através do auricular à segurança... e.... sim, ele está a desenhar o retângulo invisível, vamos recorrer ao vídeo-árbitro para avaliar...


O novo filme do Mascarilha vai numa direção inesperada

...e agora o árbitro está a voltar e diz-nos que... desenha o quadrado invisível outra vez... E sim, sim, confirma-se, esta foto do Putin tem um ar mesmo gay, temos a decisão vinda da cidade do desporto.


Não te esqueças de pôr protetor solar nos mamilos, oh Vladimir

E o nosso blog vai então recomeçar, depois desta breve interrupção, para, num original formato de top 10, explicar porque é que este mundial vai provavelmente ser uma merda:

1. O VAR é uma merda

O vídeo-árbitro é uma merda. A nacional-basbaquice gostará muito do vídeo-árbitro calculo eu, mas não tem razão. O VAR é mau. O VAR cheira a peidos. O VAR é pior que a herpes labial e o cancro do rabo combinados.


Vídeo-árbitro, em retrato recente

"Ah, mas o vídeo-árbitro é muito bom, verdade desportiva, verdade desportiva, e a paz no futebol, huh, huh?", responde o interlocutor imaginário na minha cabeça. Sim, porque este ano em Ptgal o futebol foi só paz e tranquilidade, não foi, oh voz imaginária?



A propósito, vamos perguntar ao nosso comentador exclusivo, Bruno de Carvalho, a sua opinião sobre o VAR:


VAR? Pegava em 50 maganos e mandava-os lá partir tudo!


2. Está tudo cansado

A temporada da bola é longa de mais - quer dizer, a temporada propriamente dita, com as coisas que interessam, não é demasiado comprida, mas ele é tournées pela Ásia, e fases de qualificação de seleções que nunca mais acabam, e taças da liga, e taças das confederações e mais não sei quê - os jogadores fazem jogos a mais, chegam ao Mundial cansados, depois dá merda.

Há exceções, naturalmente - aqui o herói do mar, nobre tonto, valente brand ambassador...



Estátua concebida pela célebre restauradora Cecilia Jimenez


...de há uns anos que só começa a jogar para aí em janeiro, ainda a tempo de ganhar a Champions, portanto podia estar descansado, não fosse pelo seu apertado calendário de abrir museus e inaugurar estátuas a si próprio.

Atenção... atenção.... o árbitro está a desenhar com as mãos um televisor à moda antiga, daqueles com o ecrã grande e os tubos catódicos... O árbitro está a desenhar também o controlo remoto, muito pormenorizado... 

Os jogadores fazem um compasso de espera enquanto aguardamos que o post possa ser reatado... Vamos ouvir do nosso especialista em arbitragem...

...sim, sim,  creio que o árbitro está a avaliar se aquela foto da estátua do Cristiano não é excessivamente horripilante para publicar num blog de família... Ou até num blog de esterqueira... Por este ângulo não é possível depreender... Sim, nesta 18ª repetição já parece mais claro...

E o árbitro faz sinal que não, a foto não é válida, temos que reatar o post com uma nova foto de uma estátua do Ronaldo, possivelmente aquela com a tomateira ridiculamente grande.


















"Sim, é verdade, insisti que usassem duas melancias como modelo para os meus tomates"



Pior, alguns jogadores ainda tiveram de fazer uma temporada dupla futebol e karaté/luta livre, chegam de rastos ao mundial. Equipas cansadas são equipas que jogam mal.



Essa do karaté era uma piadinha sobre o Zebordem? Pegamos em 50 maganos e mandamo-los partir isso tudo!


3 -Panini - ladrões

Isto é a primeira caderneta de cromos do Mundial da Panini:




Enfim, 1970, às vezes ouve-se falar da Panini como se fosse uma tradição milenar, como se já os egípcios trocassem cromos dos faraós, e depois andassem às turras porque nunca mais saía o brilhante do Ramsés III, mas pronto, 40 e tal anos já dá para ser uma espécie de tradição.

Mas este ano - este ano o álbum tem 682 cromos; e cada cromo custa 18 cêntimos; isso quer dizer que, para fazer a coleção toda, são precisos (vá lá Ernesto, pede ajuda para usar a calculadora)...


...pelo menos 122 euros para fazer a coleção inteira. Isto, obviamente, sem repetidos. Com repetidos, mesmo com uma paciência desgraçada a trocar cromos na Internet, e mesmo comprando os cromos por atacado, fazer a coleção fica... Fica por uma fortuna. Bolas, pelo dinheiro que custa fazer a coleção do Mundial, compra-se, sei lá um Rui Patrício.



Quê, estão a meter-se com a instituição do Zebordem Club de Ptgal, não admito ser enxovalhado, pegamos em 50 maganos e vamos aí partir isso tudo

Merda para a Panini. 700 cromos para um álbum é cromos a mais, 18 cêntimos por cromo é roubalheira, e ainda por cima os álbuns são diferentes de país para país (para dificultar mais ainda as trocas!), e ainda há os cromos que só se arranja indo comprar diarreia ao McDonald's, e depois há a coleção de cromos digitais...

...coleção de cromos digitais, ora que caralho,chamem-me Zé Bota de Elástico Velho do Restelo da Silva, mas cromos digitais? Oh bardamerda...

...e agora atenção, o quatro árbitro está a gesticular... Sim, o árbitro está a desenhar um flat-screen imaginário com os dedos, ora bem, agora tem os dedos naquela espécie de linha telefónica à moda antiga na orelha... 

Está em contacto com... com a cidade desportiva, sim, estão a rever... Vamos perguntar ao nosso comentador de arbitragem que aspeto é que.... Os jogadores fazem um compasso de espera... E agora o árbitro volta, e sinaliza que sim, "Zé Bota de Elástico Velho do Restelo da Silva" é uma piada que não tem graça... Está assim anulada, o post será retomado com bola ao solo do mesmo local da interrupção.

...Oh bardamerda, vão para o raio que vos parta Paninis, no Qatar 2022 ou América 2026 ou ElonMusklàndia 2030 fachavor de fazer um álbum com 300 cromos e preços decentes, tá bem? Este ano não há paninis para ninguém. Entretanto, vamos perguntar ao nosso consultor de ética, Bruno de Carvalho, que fazer com firmas italianas gananciosas:


Panini? Pegava em 50 maganos e mandava-os lá partir aquilo tudo!


4- VAR: Pior que a vuvuzela?

Eu diria que nada pode ser pior que a vuvuzela, nem a peste negra é pior que a vuvuzela, e agora contudo temos o vídeo-árbitro, que é uma espécie de vuvuzela silenciosa.

"Oh Tiberius 2.0, mas porque é que o vídeo-árbitro é tão mau, Tiberius 2.0, o vídeo-árbitro é tão bom, a verdade desportiva, a verdade desportiva!"

Cala-te oh voz imaginária. O vídeo-árbitro é uma merda. Recordemos Fernando Gomes, o homem que dizia que cada golo é como um orgasmo:



Este homem está a ter um orgasmo. Possivelmente orgasmos múltiplos.

Ora, se um golo é como um orgasmo, o vídeo-árbitro é dizer "não, mete lá outra vez a langonha para dentro, temos de ir ver no vídeo se contou". Agora espera lá dois minutos... Agora sim, vá agora podes orgasmar.

Quando é golo, é escusado celebrar - é preciso esperar mais dois minutos de seca para ter licença para celebrar. Isto corta o ritmo e transforma qualquer jogo num suplício. O golo deixa de ser um orgasmo, passa a ser um "ugh, vamos lá ver vinte repetições da mesma merda".

Para quê prestar atenção a alguma coisa se depois o que acontece pode deixar de valer? Pior, o VAR é mais uma forma de cuspir na cara de quem ainda vai ver jogos ao estádio. Quem vê na TV ainda tem o benefício das 27 repetições para perceber o que se passa. Quem vê no estádio não sabe o que se está a passar.

Há uns tempos fui ao estádio, num jogo só com um golo - o golo valeu, mas o árbitro foi mesmo assim fazer lá a caixinha com as mãos, e ficar meia-hora à espera, e depois dizer, ah sim, foi golo mesmo. Que piada tem esta merda? Quando é golo nem se festeja, porque tem de esperar que nos deem licença de festejar - e depois quando dão licença, o golo já foi há dez minutos, está-se a festejar o quê?

Morra o VAR e quem o apoiar.

5- Provavelmente ganha a Alemanha

Não está toda a gente farta de que ganhem os alemães? Sim, eles só ganharam duas vezes nos últimos seis mundiais, mas parece mais, não parece?

Enfim, eu até posso ter simpatia por uma seleção cujo selecionador é sobretudo famoso por ser apanhado a comer os macacos do nariz ou a snifar o cheiro dos próprios tomates em público:



Mas ganhar a Alemanha costuma ser sinal de que o nível geral é medíocre. A Alemanha joga sempre o mesmo; quando os outros são maus, ganha a Alemanha, quando o nível é forte, a Alemanha não avança.

Ausserdem muss ich merken, dass Ernesto und Cablogue von ihren füssen stinken, und Zizou hat die Manieren eines Orangutans. Sonst soll es auch gesagt werden, dass man soll nicht immer Google Translate vertrauen, weil pipi kaka coocoo rococo Pflanzen.

E atenção, agora o árbitro está a fazer a sinalética... Não, o sinal... Não, explicam-me do estudo que tem de ser sinalética, sinal parece muito simples, a palavra correta é sinalética... 

Sim, o árbitro está a desenhar... é uma playstation... Um frigorífico... Não, é um ecrã, vamos recorrer ao videoárbitro... Sim, um compasso de espera, os jogadores exercitam-se no terreno...

Entretanto na cidade desportivo o vídeo-árbitro revê o post... Creio que estão a tentar decidir se este uso da língua alemã é merecedor de cartão vermelho direto ou apenas de amarelo... Professor Alcides Gnade, quer comentar?...

Sim, creio que de facto não havia necessidade de recorrer ao alemão, particularmente a um alemão macarrónico e que, sem motivo aparente, prescinde do Sharfes S na palavra außerdem...

...e agora regressa o árbitro e sim, é cartão vermelho, vamos então cancelar esta entrada e passar para o ponto seguinte do post.

6- Merda para o VAR

"E a verdade desportiva Tiberius 2.0, tu não queres é verdade desportiva, verdade desportivaaaaaaa!"


A verdade desportiva que se foda, e fode-te tu, oh voz na minha cabeça.

Com o vídeo-árbitro, deixámos de torcer para que seja golo ou que não seja golo; não, na era VAR, torcemos para que o que o gajo que está a olhar para o vídeo decida seja a nosso favor. Em vez de torcermos por feitos atléticos, por demonstrações de força, rapidez e habilidade, torcemos por gajos a olhar para ecrãs.

E só os néscios é que acham que há A Verdade. Que a câmara de filmar, ou o realizador, nunca enganam. Que é possível descobrir o Absoluto e o Justo se pudermos ter a perspetiva da câmara por trás da baliza. Que depois de ver a mesma merda repetida 27 vezes se atinge a Claridade e a Iluminação em vez de ficar ainda mais confuso que no início.

Mas onde há tecnologia há de haver alguém que a queir usar, e estamos assim condenados para todo o sempre a mundiais de jogos pardacentos em que se interrompe o jogo de dez em dez minutos para estarmos todos cinco minutos a olhar para o replay.

A Premier League e a Champions ainda não introduziram este cancro do VAR, portanto ainda resta - por enquanto, não há de durar muito - sítios onde ver futebol a sério. Os mundiais, esses , já foram para o galheiro. Os mundiais agora vão ser esta palhaçada.

De resto, oh verdades desportivas, já pensaram que com VAR não tinha havido este golo do Maradona?



O mundo era melhor sem a mão de Deus, oh verdades desportivas?

7- O reumatismo dos guarda-redes

Isto se calhar é um fenómeno só português, mas cheira-me que no mundial também vai haver. Já se sabe como é - faltam 5, 10, 30, 80 minutos para o fim e o resultado convém - e o guarda-redes dá-lhe um ataque de reumatismo, daqueles que o obriga a estar estendido no campo dez minutos nestas cenas:

GUARDA-REDES: Ai os meus adenóides, ai o meu hemorroidal...

ÁRBITRO: Vá lá, levante-se.

GUARDA-REDES: Ai as minhas cruzes, ai o meu fundo da espinha...

ÁRBITRO: Ande lá,  já sabe que vou ter de dar descontos....

GUARDA-REDES: Ai a minha vagina, ai o meu cóccix...

ÁRBITRO: É assim que se escreve cóccix? Não sabia, tem piada.

GUARDA-REDES: Ai a minha válvula mitral, ai as minhas secreções subcutâneas...


O árbitro diz que compensa os minutos, mas não compensa nada, e entretanto estivemos com o jogo dez minutos parado. Isto é quase tão mau como o VAR. Sim, o jogo não pode continuar sem guarda-redes; não, não é possível que em todos os jogos haja um guarda-redes com um ataque de herpes ou de lupus ou o que ele está a fingir que tem.

Felizmente, há uma SOLUÇÃO TIBERIUS para este problema. Estamos prontos? É assim:

Passo 1: por cada minuto que o guarda-redes esteja a rebolar-se com diarreia ou com pedra nos rins ou com dispepsia ou o caraças, dá-se dois de compensação. Sim, isto vai resultar em jogos de 140 minutos, mas pode ser que no longo prazo contribua para a saúde dos guarda-redes.


Passo 2: Banir o VAR, guilhotinar todos os seus defensores.


8-O mundial do putinismo

A Rússia deu-nos o Gagarin, o Dostoievski e o Yashin, todos os russos que conheço são pessoas simpáticas, mas também nos deu este criptofascista / modelo de porno gay:



Como todos os tiranetesde vão de escada, o sr. pudim quer usar as grandes festarolas desportivas para glorificar a sua própria pessoa. Ora, bardamerda para ti, para os teus oligarcas corruptos e para os teus hooligans. Vamos guardar o nosso entusiasmo para os próximos mundiais, que vão ser em países mais democratas como, hmmm, o Qatar?, e, hmmm, a trumplândia?

O árbitro manda parar o jogo... desenha formas geométricas no ar, vamos ao vídeo... Sim, o árbitro está a olhar pela câmara... Estará talvez a perguntar ao cameraman onde é que se mexe no zoom... E sim, está decidido que o conteúdo político deste post é muito fraco, não tem graça, o árbitro anula este ponto, vamos reatar o post com mais piadas sobre peidos.


9- A Itália não está lá

Pela primeira vez desde não sei quando; mais, assim quebra-se uma linda série em que a Itália desde 1970 ia à final de 12 em 12 anos.

Enfim, julgava que isto me ia chatear mais, mas na verdade não chateia. A Itália hoje em dia é uma seleção aborrecida. A Itália-Conte ainda animou um bocado no euro 2016, mas já não era a mesma coisa. Quer dizer, há algum jogador italiano atual que faça mesmo falta no Mundial? O Buffon? O Chiellini?

Bah. Uma cura de uns anos sem mundial só pode fazer bem aos italianos. A menos que resolvam chamar da reforma o Del Piero, o Pirlo, o Totti e o Cannavaro.



Se esses voltarem, dá-se um lugar extra à Itália e tira-se, digamos, a Tunísia? A Austrália? O Panamá?

10- 32 países é de mais

Esta era outra coisa que me devia irritar mas na verdade deixa-me indiferente. Sim 32 países é muito,  são muitos jogos, a qualidade nivela-se por baixo e depois as equipas mais fortes passam sempre e são sempre as mesmas, mas heh, isto é para ser uma festa, e numa festa quantos mais melhor. 32 países parece-me bem. Ah a FIFA já quer 48 em 2026? 48 de uma vez? Eh pá isso é um exagero.




48? 48?!? Pegamos nuns 50 maganos e partimos aquilo tudo


E o árbitro está a fazer gestos no ar... Aparentemente frequentou a escola de magia de Hogwarts - não, não, vai pedir a opinião do vídeo-árbitro, vamos ver o que diz o VAR - um compasso de espera... E o VAR confirma, sim, confirma que esta piada do Bruno de Carvalho já não tem graça. Já não tem graça. E o árbitro dá assim por terminado este post, com um resultado final de Ilhas Faroé 0 - eSwatini 0. (*)


(*) Sabiam que agora a Suazilândia se chama eSwatini? Não parece o nome de um site para bilhetes de avião ou o caraças? Entretanto, previsões oficiais Tiberius para o Mundial: ganha o Brasil, Ronaldo marca 1 golo e refila 1500 vezes com os colegas de equipa por não lhe porem a bola à frente da baliza, Tiberius parte dois ecrãs por causa da merda do VAR.  

quarta-feira, junho 06, 2018

Winona

Sabiam que  mãe do capitão Kirk se chamava Winona? Mas chamava.

Alta Arte
Os vídeos dos White Stripes

Além da música fabulosa, os White Stripes são das melhores bandas do século também pelos videoclips, super-imaginativos e cheios de efeitos especiais que deixam um gajo a pensar como é que aquilo é feito. Há de tudo...

Projecções de filme na parede:



Animações com legos:



Túneis caleidoscópicos gerados por computador:



Gajas boas (este não tem mesmo nada de especial... a não ser a gaja, que é mesmo boa):



Pixilation (uma técnica de animação bem antiga):



Arranjos espetaculates de efeitos, com distorções, animação e outros:



Toiros:





segunda-feira, maio 21, 2018

Politicamente choninhas

Image result for politically correct

Gostaria de atribuir a Medalha de Mérito do Núcleo aos inventores da linguagem politicamente correcta. A vida é cheia de problemas e alguns, às vezes, não têm solução. Se amaciarmos as palavras com que os descrevemos, esses problemas não parecem tão graves, ou é como se não existissem. Brilhante!

Em rigor, não existem palavras ofensivas. O que acontece é que as pessoas, em dado momento, começam a usar certos termos de forma a ofender ou agredir outras. Em vez de lutarmos contra esse comportamento, banimos as palavras usadas para ferir. Problema resolvido.

Desde sempre, as minorias foram vítimas de discriminação. Os cegos, por exemplo, eram vistos como indivíduos incapazes e indignos do mesmo respeito que os cidadãos sem esse problema. Entretanto, a sociedade evoluiu e descobriu que essas pessoas até tinham algo a oferecer e podiam perfeitamente desempenhar um papel útil. Em vez de passarmos a respeitar os cegos, vamos promovê-los a invisuais, que assim já passam a ser dignos de respeito. É como se eles até passassem a ver qualquer coisa.

Reparem como já não existem surdos também. Há pessoas com deficiência auditiva. De repente, passaram a ser “pessoas”. E é bom chamar-lhes outra coisa, mais pomposa do que “surdos”, porque eles agora podem ouvir. Assim soa mais importante e eles não se ofendem.

Também já não há deficientes. Há pessoas portadoras de deficiência. Como se a deficiência não fosse verdadeiramente delas e estivessem apenas a carregá-la. “Vou só ali levar esta deficiência e já venho”.

E os deficientes mentais passaram a ser pessoas com dificuldade de aprendizagem. De súbito, um rapaz que precisava de acompanhamento especial e era olhado de lado pelos outros meninos passou a estar basicamente ao nível do meu primo Zé Carlos, que chumbou o ano três vezes. Tinha claras dificuldades de aprendizagem o Zé Carlos.

Os gordos também se sentem mais leves se passarmos a utilizar a nomenclatura clínica: obesos. De pesados comilões que não gostavam de fazer exercício, passaram a ser vistos como pacientes a sofrer de uma enfermidade, da qual se podem livrar se tomarem medicação. E os velhos até sentem passar o reumatismo se forem chamados de idosos.

Questões de discriminação racial também ficam resolvidas com algum exercício de linguagem. Um preto transforma-se num cidadão de origem africana (não importa onde ele tenha nascido) e um cigano passa a ser um indivíduo de etnia cigana. Ele não é cigano, a etnia dele é que é. Assim, vira uma pessoa mais respeitável e, quem sabe, até passa a ser menos cigano. Essa nova maneira de nomear as coisas até ajuda a esbater problemas sociais que afectam particularmente algumas comunidades. Ajuda a reduzir a violência, por exemplo. “Chefe, um cigano espetou uma faca num preto”. Chamem uma ambulância! “Comissário, um indivíduo de etnia cigana feriu um cidadão de origem africana com uma arma branca”. Alguém tem um penso rápido?

Quem ler esta crónica pode achar que sou um idiota. E até têm uma certa razão. Bem, talvez idiota seja um exagero. Sou, digamos, um portador de estupidez. Esta parvoíce não é minha, é emprestada. Vou devolver assim que acabar de usar.

(adaptado da crónica de mesmo título publicada na coluna Tapau no Bufê, do jornal Ponto Final, Macau)