.
.

NÚCLEO DURO

 

Pub

A política é a arte de fazer alianças. É só derreter os fios de ouro roubados...







Pub







terça-feira, janeiro 02, 2007

Escutas do Núcleo
Floresta Humana



Este 'post' era para ser integrado na nossa rubrica gastronómica "Os Donos do Garfo", mas como o Restaurante "A Floresta" - alegadamente "o mais antigo" da Guarda e o único na cidade aberto no primeiro dia do ano - não tinha o ensopado de borrego e a alternativa era um cabrito assado acompanhado de batatas fritas e arroz; e como ouvimos ali umas das afirmações mais espectaculares de sempre... aqui vão umas memoráveis Escutas do Núcleo.

O pedante velhote de chapéu e óculos de aros grossos, dono do restaurante, atira ao filho e à única empregada que baratatonteavam mais de 10 mesas esfomeadas:
- Vocês são muito lentos. Os clientes estão a ficar sem paciência!

O filho, irritado:
- Olha, não tivesses mandado os empregados embora!

Na mesa ao lado, fala-se de jornalismo... e outras coisas:
- O Cavaco foi o único que deu conta das nossas Finanças. Ele é que foi esperto. Estudou em Inglaterra, que é onde estão as melhores escolas de Economia do mundo, tirando Harvard, que é nos Estados Unidos... Minto, nos Estados Unidos há algumas outras quantas das melhores escolas... mas enfim, o Cavaco formou-se em Inglaterra. E quando o Sá Carneiro o foi buscar, ninguém dava nada por ele. Começou a trabalhar, sem grandes entrevistas... E dos gajos que tivemos na Finanças até hoje, todos uma merda, ele foi o único que trabalhou bem e endireitou a desgraça que aquilo ficou depois do 25 de Abril. Eu conheço-o bem, estive com ele em Moçambique, até lhe emprestei um carro para ele dar umas voltas com a Maria.

(...) O Adelino queria que eu fosse para a Lusa, mas ele queria que eu fosse da Opus Dei e eu disse "Nem pensar!" Preferi ficar aqui na Universidade.

(...) Eu tenho uma coisa com as mulheres, não sei..., ficam todas doidas por mim. Quando eu morava com o Adelino na Inglaterra, aos fins-de-semana saía com a mulher dele, dávamos a desculpa de que íamos às compras e... Bem, a gaja gritava comigo de prazer que era uma coisa louca! E olha que eu a ouvia a ter relações sexuais com o marido no quarto ao lado, mas ela não gemia tanto com ele. Comigo é que ela ficava louca! Era cada berro, arranhava-me todo!...

Etiquetas:

2 Comments:

Anonymous Pedro Pereira said...

Chiba-te aí, ó Cablogue! O que é que tu sabes sobre isto?

03 janeiro, 2007 13:24  
Anonymous ADELINO said...

Eu sou o Adelino e se a minha mulher não berrava era porque tinha a boca cheia...se não arranhava era porque estava amarrada. Ora queriam lá ver...ahn!Eu é que a mandava ir com o outro gajo porque estavamos a preparar uma tese de mestrado sobre o assunto...

08 janeiro, 2007 12:02  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



 

banner for http://www.eurobilltracker.com

Powered By Blogger TM