.
.

NÚCLEO DURO

 

Pub

A política é a arte de fazer alianças. É só derreter os fios de ouro roubados...







Pub







segunda-feira, outubro 31, 2005

Escutas do Núcleo
As chatas da Roménia



Ayútami una moneta, senhoras senhor
Perdónami de molestias por favor
Sono refugiata rumana no tengo trabajo
Tengo cinco niñas pequeno
No tengo nada no tengo leches
Perdónami de molestias por favoooor...
Gracias senhora
Mucho salude para tutta tu familias marida

- Pregão de cigana romena no metro de Madrid. A letra é a mesma cantada por centenas de mulheres diferentes e também já foi ouvida no metro de Lisboa e na linha de Sintra. Umas exibem fotos de crianças, outras levam um bebé sempre a dormir, provavelmente após um biberão de vodka

Etiquetas:


domingo, outubro 30, 2005

Escutas do Núcleo

[uma professora universitária, depois de saber que o referendo sobre o aborto seria adiado para as calendas]

"Acho uma puta de uma palhaçada e por isso é que andamos nesta merda há não sei quantos mil anos."

Etiquetas:


terça-feira, outubro 25, 2005

Zizou goleador

Avolumava-se o mistério: onde pára Zizou, porque não escreve Zizou?

O caso está explicado: Zizou ouviu uma voz misteriosa de noite e esteve nos últimos meses em estágio, para preparar a sua nova carreira no futebol como ponta de lança de elite.

No entanto, como apurou a câmara oculta do Núcleo numa missão de espionagem do recente derby FC Cagaréus vs. CF Ceboleiros, a forma de Zizou ainda deixa muito a desejar.

Recortes da Imprensa Espanhola
Enanos, chimpancés y marihuana



ELLA NO ENTENDÍA QUE OTRAS MUJERES LO MIMASEN
Un hombre de 54 centímetros deja a su mujer por celosa
- La Voz de Galicia


Un chimpancé logra dejar de fumar tras 16 años de adicción
- Informativos.telecinco.es


Detenido por robar tres plantas de marihuana en una obra
- El Diario Montañés, de Santander


El alcalde de BCN afirma que la gente, de madrugada, debe salir orinada de casa
- El País


Denuncia por teléfono que hay intrusos en su casa y la policía le dice que lo haga por escrito
- Las Provincias, de Valência


segunda-feira, outubro 24, 2005

Núcleo Nostalgia

Fiz uma pesquisa no Google por "Núcleo Duro" e "Salgueiros" (não perguntem), e entre os vários resultados, imaginem lá, saiu-me este magnífico link.

Setembro de 2004 deve ter sido um mês em que eu não devia ter mais nada para fazer senão coçar os tomates e arrotar posts de pescada. Não sei ao certo, que com os meus problemas de demência senil já nem me consigo lembrar bem do que é que estava a fazer na semana passada.

Mas enfim, ao ler esta página com o arquivo do Núcleo para Setembro de 2004, cheguei à conclusão de que a página do Núcleo já conheceu melhores dias. Dias em que se postava com mais regularidade, em que os textos tinham mais graça, em que se metia com frequência fotos de gajas nuas. Enfim, o Núcleo envelhece, quiçá amolece.

Enfim, back to the future, eis as coisas em que este Núcleo pensava em Setembro de 2004:

Entre as palavras-chave mais utilizadas, figuram: "núcleo", "duro", "saites", "pornográficos", "gajas", "nuas", "putas", "ordinárias" e "mamilos


como tenho pressa digo só que "ele é que não se fica" O CARALHO, não espera que digo mais, também digo à tua nova demonstração de desonestidade intelectual carcácica, a chamar bushista a quem não concorda contigo, digo VAI FAZER COM QUE TE ENRABEM.


Estavam já rendidos ao mercado e só olhavam aos números do Netstadt e à perversidade. Zizou questionava a utilidade deste blog e Ernesto respondia que estava "mais interessado em explorar a coprofilia e outras escatologias" (

Foi detido um jovem, de 18 anos de idade, por resistência e coacção a um Agente da Autoridade


Do Porto à maneira antiga, proletário, macambúzio, que escarra para o chão e diz caralhadas



Vai coçá-los. Como é que tu sabes o que está escrito nas paredes dos bordéis gay de Viseu, hã?


Bem sei que já morreu há duas semanas mas quero aqui celebrar uma missa de 14º dia para honrar a memória de uma parelha de génios

A intrusão do território no espaço é assim significada. Terra = sociedade = cultura = religião: a equação do lugar antropológico reinscreve-se fugidiamente no espaço.

O João Paulo II é um autoritário de esquerda, eu sou um libertário de direita

Algumas têm mais testosterona que o Zezé Camarinha


É um órgão oficioso, conservador. Quase sempre foi, aliás

Os Donos do Garfo (em casa)
Pinchas como eu pincho?



Dizem os entendidos que a chamada 'tapa' ou 'pincho' ('pintxo', em basco) deve ser degustada entre as refeições principais. Por mim, desde que haja cerveja gelada por perto, o 'tapeo' faz um belo jantar. Porque também se come com os olhos, é um deleite ver um prato arranjado com meia dúzia de 'pinchos'. O aspecto sugere sofisticação e complicação no preparo, mas nada mais falso. É bastante divertido e entretido prepará-los. Além do mais, os ingredientes são muito variados e totalmente à disposição da criatividade.

Mas passemos à prática. Todos estes 'pinchos' que aqui sugiro foram testados por mim na primeira Grande Noite das Tapas de Mestre Vostradeis, que teve lugar em Madrid, na semana passada. Todos foram confeccionados sobre fatias de 'baguette' - o corte deve ser feito inclinando a faca 45 graus (+ ou -) em relação ao pão, de forma a obter rodelas elípticas.

Pincho 1
Molha-se levemente uma das faces da fatia de pão num pires com azeite sem deixar embeber em excesso. Sobre essa face, chuvisca-se um pouquinho de orégãos e sal, e espalha-se uma boa quantidade de uma pasta preparada previamente de uma foma muito simples - esmagando tomates maduros com um pilão. Quem tem menos paciência, pode moer com a varinha, mas com cuidado para não ficar demasiado líquido.

Pincho 2
O pão recebe o mesmo tratamento que o anterior (azeite). Espeta-se sobre a face azeitada do pão, com um palito, uma azeitona preta (sem caroço) e uma fatia de presunto (Pata Negra, de preferência) dobrada de forma a não transpor muito os limites da fatia de pão.

Pincho 3
Revelo aqui a base da minha famosa receita de patê de atum. Desfazer com um garfo uma lata de atum. Juntar cebola, salsa e azeitonas pretas, tudo picadinho. Juntar um pouquinho de mostarda e de ketchup, uma pitadinha de pimenta, um fiozinho de azeite, uns pingos de limão e de vinagre balsâmico. Ir juntando maionese e misturando até adquirir a consistência correcta. Pode-se variar alguns ingredientes e introduzir, por exemplo, azeitonas verdes, pickles, alcaparras ou a clara de um ovo cozido picadinha (evitar colocar a gema, que interfere demasiado na consistência e no sabor do patê). Depois é só espalhar essa massa sobre o pão e decorar com uma folhinha de salsa.

Pincho 4
Unta-se a face superior da fatia de pão com maionese. Coloca-se uma folha de alface 'iceberg' rasgada mais ou menos à medida, meio espargo branco (quanto mais grosso melhor) e uma azeitona preta, tudo espetado com um palito.

Pincho 5
O pão recebe o mesmo preparo que o anterior (maionese). Espeta-se sobre ele um 'nugget' de frango previamente frito - vende-se no Lidl, na secção de congelados - com um palito decorado com uma azeitona verde recheada. Em Espanha há umas recheadas com anchovas, mas essas com pimento vermelho servem perfeitamente.

Pincho 6
Espalha-se sobre o pão a seguinte receita: navalhinhas do Chile - serve navalha normal (marisco também conhecido em Portugal como lingueirão), desde que cortada em pedaços pequenos -, cebola, alho e salsa picadinhos, pimenta, colorau (muito pouco), azeite e umas gotinhas de limão.

- Para saber mais:
La Historia de las Tapas
Recetario de Tapas
Pintxos Donostiarras, por Enrique Domenech


domingo, outubro 23, 2005

Escutas do Núcleo

- Então, o que é feito de ti? Ainda estás por cá?
- É pá, agora estou, estive casado mas a gaja deixou-me, meteu-se com outro gajo. Eu já estou com 33 anos e tenho 4 filhos. Tive um acidente grave de mota há dois anos e ainda estou a recuperar, embora já esteja quase bom. A moto é uma Suzuki 1100, ainda a tenho na garagem, mas não toco nela, fiquei com trauma.
- Se calhar é melhor vendê-la.
- Pois, mas o tipo que a quer comprar quer pagar a prestações, ele até dá um bom dinheiro por aquilo, mas a prestações não aceito. O acidente aconteceu numa fracção de segundo: vi uma bola a ir para a estrada e logo a seguir três miúdos. Se não me desviava desgraçava a minha vida, assim desgracei à mesma. Fiquei com a mão descarnada até ao osso, de tal forma que não conseguia olhar para ela. Ainda tenho aqui uma grande cicatriz, vê. E também fiquei cortado na cabeça, só há pouco é que me voltou a crescer o cabelo. Até andava na capoeira e tive que desistir. Se fosse há uns anos atrás teria sido pior, aí é que eu andava a abrir. Já me tinha estampado quatro vezes aqui em Celas. Uma mesmo aqui nesta curva, outra na rotunda do hospital, outra na Figueira e outra ao fundo da calçada dos apóstolos, nessa quase fiquei em coma. Agora é mais jipes, ando ali a ver um UMM espectacular, igual a um que eu estampei há uns anos. Mas parece que o dono tentou atravessar o Mondego com aquilo e lixou um bocado o motor, tenho que ver se aquilo está em condições. Também tenho uma moto de água, costumo andar com ela em Mira. Dá muita pica andar naquilo e os miúdos gostam.

Etiquetas:


sexta-feira, outubro 21, 2005

Recortes da Imprensa Espanhola
Jabalíes, vaginas y brasileños



Un joven escondía un puma y un tigre en el falso techo de una tienda
Tres inmigrantes clandestinos se ocupaban del cuidado de los animales
Agentes de la Guardia Civil han detenido a Francisco José Gómez, de 19 años y proprietario de una tienda de animales de Griñón, por tener ilegalmente en su estabelecimiento un cachorro de tigre, un puma y una cacatúa. Además, el detenido escondía dentro de un habitáculo del establecimiento a tres trabajadores inmigrantes, todos brasileños y en situación irregular, que presuntamente vigilaban la tienda a cambio de hospedaje.
- El País


La cirurgía estética llega a la vagina por el auge del tanga y el culto a la belleza
Cada vez más jóvenes deciden recortarse los labios menores para mejorar su apariencia
- El Correo


"La madre que los parió", el grupo que actúa mañana, no es anarquista
- ABC de Toledo


Alarma por el aumento de jabalíes en calles de Barcelona
- La Vanguardia


Un cura enseñaba desnudo el catecismo
- El Diario Montañés, de Santander


quarta-feira, outubro 19, 2005

Frases usadas
Quien boceta todo alcanza



Carlos Rodríguez, professor de 'Cómic I':
"Vamos a bocetar primero. Quiero ver esos bocetos."


domingo, outubro 16, 2005

Que país tem mais Torrentes?



Um fenómeno de popularidade. Talvez nunca chegue a Portugal, visto que a coisa aqui já vai no número três e aí, que eu me lembre, nunca ouvi falar no fulano. Detentor do recorde de bilheteira nos cinemas espanhóis este ano, Torrente III merece uma referência num blog como o nosso. Não por isso, mas pela personagem principal ser um verdadeiro farol da grunhice, tão idolatrada no seio (vulgo mama) deste núcleo.

O humor não é inteligente. Resvala para a palhaçada malucosdorrisística. Mas o génio de Santiago Segura, o criador, realizador e actor que interpreta o auto-proclamado "braço tonto da lei", consiste em retratar tão bem uma figura que muitos consideram o espanhol médio. "Este país está cheio de Torrentes", atesta o semanário satírico 'El Jueves'. O ND responde: isso é porque vocês nunca foram a Portugal.

Torrente é um tipo baixinho, careca, barrigudo, de bigode e fio de ouro ao pescoço. Cheira mal por défice de banhos, arrota e peida em público, está sempre a coçar os colhões e brinda qualquer mulher na rua com comentários às mamas da contemplada. Alguém se lembra de mais algum critério para se poder ser distinguido com o grau de "tuga"? Numa cena, num restaurante chinês, Torrente exige pão. Quem em Portugal nunca viu alguém pedir um bitoque ou batatas fritas num chinês?

Mas a cena mais escatológica, que vale a Segura entrada como membro honorário da Casa do Núcleo Duro de Madrid, é uma em que está a fazer uma vigia com um colega dentro do carro e se lembra de uma distracção para passar o tempo, sugerindo: "¿Nos hacemos unas pajillas?", que é como quem diz: "Bora trocar umas punhetas?"... e para que a sua masculinidade com tal ousadia não seja posta em causa, sublinha logo a seguir: "Pero sin mariconadas" ("Mas nada de paneleirices"). O ND tem de admitir que nunca iria tão longe e, por isso, curva-se perante tamanha grunhidade.


sábado, outubro 15, 2005

Ernesto e Tiberius,
Dizer-vos isto:
Vocês andam muito tensos e agressivos. Que tal uma viagem para descontraírem?
A Casa Branca anda agora a organizar umas excursões guiadas a Nova Orleães. Vão, desanuviem. Era uma forma de o Tiberius conviver de perto com os seus heróis neo-liberais e o Ernesto podia desenvolver as técnicas de pesca que tanta fama lhe deram no Alvito (um fim-de-semana, zero chicharros).



(Pela honra do Núcleo, esta imagem não é uma foto-montagem)


sexta-feira, outubro 14, 2005

Pequena pausa na programação habitual

Interrompemos o programa "Porque é que Ernesto é feio, mau, porco e suez" para uma importante mensagem publicitária:

O Esplanar é um blog de um tipo chamado João Pedro George. E é daqueles blogs importantes, dos que aparecem citados nos jornais e tudo, que leva mais de 800 visitantes por dia e já teve 140 mil page views.

Tornou-se famoso nos últimos tempos por desancar forte e feio nos plágios da Margarida Rebelo Pinto.

Ora, se forem ao fundo do blog vêm a página de links. E não é daquelas páginas de links enciclopédicas que metem qualquer merda com blogspot no nome - não, é só 20 links de blogs de referência, quase todos os do costume.

Mas no meio dessa lista selecta vem - este!!

Sim, no meio de tão ilustre companhia!

E o mais espantoso é: temos um link em destaque na página de um blog que aparece na capa do 24 Horas e não passamos dos 50/60 hits por dia?

Cá para mim, a culpa é do Ernesto. Milhares e milhares de leitores que passam por cá uma vez, põem os olhos numa das postas fedorentas do Ernesto e dizem - nunca mais.

Não fora o Ernesto e tínhamos mais audiência que o JPP! Ernesto, saneamento já!

Menos cerveja e amendoins com piri-piri, camarada

Um pobre paciente veio dar a este blog através da pesquisa: "hemorróidas - fotos".

Tiberius:

Vamos acabar com isto. Falemos de coisas sérias, reais, concretas. No fundo, do que tu gostas é mesmo disto.



.*a legenda contém uma gralha: onde se lê inn deve ler-se inside.

Ernesto: muito fraco!

Ora agora que se estabelecera aqui uma bela peleja, uma refrega das antigas, um bota-abaixo dos que já não se fazem, o Ernesto encolhe-se cobardemente, incapaz de ripostar. Ele mete uma ou duas fotos pilhadas ao Google Images e julga que já está. É muito fraco.

Eu e o Carcaça a tentarmos iniciar uma pilhéria comparável às cartas do Antero e do poeta Castilho (vai ver no Google quem eram o Antero e o Castilho, oh Vostra; pergunta ao Vostra o que é o Google, oh Zizou), e o Ernesto nada.

Mas enfim, a verdade é que as estatísticas não mentem, e as estatística revelam que bater no Ernesto é o que o povo gosta. Ora vejam:




Como se vê, o Núcleo atinge picos de audiência nos dias em que há bordoada no Ernesto. O Núcleo, ciente dos exemplos de figuras históricas como Teresa Guilherme, José Eduardo Moniz e Joseph Goebbels (vai à Wikipedia, Zizou), faz o que as audiências exigem: porrada no Ernesto!

Mas isto só funciona se Ernesto responder, e Ernesto fica-se. Fraco. Muito fraco!


quinta-feira, outubro 13, 2005

Não quero alimentar polémicas...

...mas esta obsessão fálica do Ernesto tem muito que se lhe diga. Aliás, a câmara oculta do Núcleo surpreendeu Ernesto à entrada de uma festa de confraternização do PNR, e as imagens captadas não deixam grandes dúvidas sobre as suas novas tendências:


Legenda: Ernesto em pose

E ainda no deprimente e francamente de mau gosto assunto que é "Ernesto", os contactos do Núcleo junto aos serviços de encriptação da CIA permitiram apurar que Ernesto não é o nome verdadeiro de Ernesto, mas apenas uma sigla que disfarça propósitos tenebrosos:

Mas Tiberius,

Se também não te deres bem com a Torre de Belém, experimenta esta...

Tiberius:

Estou a ver que o marco do correio é pouco para essas nádegas gordas. Já experimentaste a Torre de Belém?

Ernesto: lamentável

Muito grave, diria mesmo suez, o comportamento de Ernesto. Numa reunião de emergência do Núcleo, Ernesto perdeu as estribeiras e partiu para a violência. A câmara oculta do Núcleo captou exclusivamente o momento:















(Legenda: Ernesto, em primeiro plano, ilustra aos vários membros reunidos do Núcleo os seus hábitos pervertidos de pontapear focas-bebé e criancinhas esfomeadas de África; à direita, Vostra na sua farda de membro dos Village People, procura controlar o desvairado Ernesto)

Tiberius:
Vai-te montar num marco do correio.


quarta-feira, outubro 12, 2005

E ele fica-se?!

Ora então estamos eu e o Carcaça aqui a fazer em polpa de tomate o Ernesto, e ele nada! Que é feito dessa jactância vituperante, dessa verve sibilina, dessa impetuosidade rebarbativa? A gente dá-te porrada e tu ficas-te? Até o Zizou se está a rir de ti!

Cá para mim, o Ernesto está numa de não se meter em polémicas menores, numa de pose de Estado, de seriedade, de quem quer ser outra vez citado pelo JPP. Ou, se calhar, já tem os olhos postos noutros voos.

Escutas do Núcleo (comentadas)

- Vamos governar Coimbra todos juntos e com a ajuda de Deus vamos triunfar.
Carlos Encarnação, reeleito presidente da Câmara de Coimbra
[Com a ajuda de Deus?! Já estou muito mais descansado.]

- Há pessoas que não são de Coimbra e que vêm cá ofender as gentes de Coimbra
Idem
[É fechar as portas da cidade e não os deixar entrar, como na Idade Média. Se conseguiram entrar, é defenestrá-los.]

- Uma cidade belíssima/ Um presidente fantástico/ és a nossa fé/ Encarnação olééé!
Cânticos dos jotinhas
[É defenestrá-los a todos e migrar daqui para fora.]

- Ganhar eleições não passa só pelo trabalho do candidato a presidente. Passa também pelo trabalho que os outros fazem. Há até quem diga que as eleições não se ganham, são os outros que as perdem. Para ganhar é preciso que os outros percam.
Victor Baptista (ou Vítor Batista, na versão tida por mais rentável, que apareceu nos últimos cartazes de campanha)
[Como!?]

Jornalista - Culpa a comunicação social pela sua derrota? Que mentiras disse a comunicação social a seu respeito?
Avelino Ferreira Torres - Tudo. Tinha toda a comunicação social contra mim. Triunfou a intriga, a calúnia valeu a pena, os jornalistas deram a câmara ao P.S. Eu podia-lhe chamar filho do..., mas não vou dizer isso se não é verdade.
Jornalista - E qual é o seu futuro político?
Avelino - Eu nem sei o que é que vou fazer amanhã.
Jornalista - Mas o seu slogan era "agora ou nunca".
Avelino - Agora ou nunca é tarde de mais.
[Amanhã vais para a choldra, que era onde devias estar há muito tempo]

- Aqui não manda um zé-ninguém qualquer, aqui mandam os gondomarenses. Vocês estão de parabéns e nunca mais esquecerei o vosso apoio, a vossa solidariedade, Nunca vos esquecerei! Eu nunca vos esquecerei!
Valentim Loureiro
["Nunca nunca deixarei de sentir ponta por ti/Nunca nunca deixarei de beijar o teu pipi" Ena Pá 2000]

- É uma vitória ainda mais por Oeiras ser um concelho com maior concentração de licenciados, de pessoas de classe A/B e de poder de compra.
Isaltino Morais
[E é também um dos concelhos com mais gente com primos que têm contas bancárias na Suíça. Esta também me faz lembrar um aforismo do meu tio Salazar: "A instrução não dá educação e nunca conheci ninguém que tivesse enriquecido honestamente"]

- Queria agradecer à Bárbara, que esteve comigo sempre ao longo de toda a campanha.
Manuel Maria Carrilho
[Nem isso te valeu, ó vaidosão. Tens a mania que és genial? Para a próxima vê se cumprimentas os adversários e escusas de pedir às gajas do Passerelle para te fazerem a escolta. É o que faz teres chumbado à cadeira de epistemologia popular.]

- O Tiberius e o Carcaça foram suezes na orquestração da sua campanha contra a minha pessoa.
Ernesto, candidato derrotado à assembleia de freguesia da Regofeita
[Este julga que fala caro, ó o caralho...]

Etiquetas:

As crianças com aspirações libertinas da burguesia relativista respondem

[A pedido de várias famílias, cedo a palavra ao eminente prof. Alcides Graça:]

Prof. Alcides Graça:

Caro Ernesto, o seu entusiasmo pelo neologismo estrangeiro bling bling é louvável, e tomei nota com agrado do seu uso criativo da expressão "burguesia relativista".

Tenho no entanto de lhe chamar a atenção para o uso da palavra "suez". Presumo que pretendia dizer "soez" - imundo, ordinário, estúpido.

Ao falar em "suez" terá tido um lapso freudiano, que o remeteu para o Canal de Suez. Caso não entenda ao que me refiro, aqui está um desenho:



O simples recurso a um prontuário evitaria estas confusões. Vamos ter mais cuidado na revisão das nossas diatribes, amigo Ernesto!

[A palavra é devolvida a Tiberius]

Tiberius: Oh Ernesto, imundo, ordinário e estúpido és tu, oh seu soez.

P.S.: Qué da minha Playstation?


terça-feira, outubro 11, 2005

Ainda 50 cent...

Correndo o risco de dar uma ajuda para que este blog passe a ser lido por menos do que a meia dúzia de pessoas próximas com pouco para fazer, sou obrigado a alimentar o que começou por ser uma polémica de interesse geral sobre a influência do bling bling e acabou num ajuste de contas interno suez perpetrado por crianças com aspirações libertinas.

Dizer o seguinte ao Tiberius e ao Carcaça:

Já fui lá e vi

Um brinquedo na mão do oprimido pode matar

Brevemente disponível na Playstation da burguesia relativista, bum, bum

Escutas do Núcleo


Tiberius
: Leste a fábula do Carcaça a dizer mal de ti, aquilo era pura prosa carcácica, a veia cómica anarco-trotskista no seu melhor...
Ernesto [voz amarga, de injustiçado] Eh pá, vocês não sabem nada disto, só gozam, são mas é uns denuclientes...
Tiberius[confuso]: Denuclientes? Isso é um trocadilho, ou?...
Ernesto: Delinquentes, delinquentes, porra.

Etiquetas:


segunda-feira, outubro 10, 2005

Escutas do Núcleo

[À saída do concerto de 50 Cent, Ernesto procurava o seu BMW de segunda mão quando é abordado por gang de miúdos de 11 anos]
Puto do gang (PG): Ó bacano, tens lume?
Ernesto (E):...[apressa o passo]
PG: Que horas são bacano? Vê aí no teu telemóvel. Tu deves ter um telemóvel maneiro.
E: É pá, vão à vossa vida, não se desgracem. Fumar charros é mau para a vossa saúde mental, andar com armas é mau, qualquer dia a Procuradoria Geral da República ainda vos apanha. Estes concertos deviam ser proibidos para gente da vossa idade!
PG [de ponta-e-mola em riste]: Bacano, estás a alucinar? Passa o telemóvel, caralho, sem ondas.
E[em tom épico]: Vocês são muito novos, eu tenho uma filha que é quase da vossa idade. Não façam isso, não digam asneiras. O que vocês viram lá dentro no 50 cent é ficção, é como o Pulp Fiction, tão a ver? Eu gosto do Pulp Fiction mas é só na brincadeira, aquilo não é verdade, as pessoas não se andam por aí a matar assim, é uma coisa engraçada para ver em filme, é como o hip-hop, eu gosto de hip-hop, mas é só...
PG: Ò bacano, baixa a bola! Então tu julgas que nós viemos ver a merda do concerto? Nós viemos foi esmifrar os otários que pagaram 50 euros para ver o 50 cent [risos boçais]. Quem dá 50 euros para ver esta paneleirice também entra com uma comissão aqui para a junta de freguesia de Chelas. [Risos insidiosos]
E: É pá, não, olha que eu sou dos vossos, sou um marginal do sistema, eu não gosto do sistema pá! Eu sou dos vossos! Querem ver? [Começa a cantar] "Domingo no Colombo/ Sexta-feira tou tonto/ Quarta tou em Chelas/ Sexta Montanelas/ Ahn Uhm Oh Yeah/Check the mike, yeah!/ É pra barrage/Vamos todos pra barrage/ Bora fazer sacanage/ Já falei com o Chulage/ Uhm/Ahn Check that mike"
[Risada intensifica-se. Ernesto passa resignadamente o telemóvel e pensa que já nada é como dantes. Pensa como se divertia quando era criança, a conduzir uma mini-motoreta até à Foz do Arelho. Sente-se perdido, nostálgico. Chega a casa e escreve um post de indignação. Adormece, sonha com Souto de Moura e, como sempre, com Zizou adornado com lingerie erótica]

Etiquetas:


sexta-feira, outubro 07, 2005

Recortes da Imprensa Espanhola
Ladrones, 'piercings' y pilas



SEGÚN UNA LISTA DE INTERPOL
Un ladrón de gallinas, entre los criminales más buscados
- La Voz de Galicia

Reimplantan la oreja a un joven que la perdió tras engancharse su 'piercing' con una portería
- Las Provincias, de Valência

Un perro dispara a su amo con una escopeta de caza
Un perro búlgaro apretó el gatillo de la escopeta de caza de su amo y le hirió en el pecho mientras los dos se disputaban la presa de una cacería
- Hoy de Extremadura

El líquido del estómago de las vacas produce tanta electricidad como media pila
- Diari de Girona

Roba a tres expertos de la Policía haciéndose pasar por guardia
- Diario de Noticias, de Pamplona


quinta-feira, outubro 06, 2005

Frases usadas
Que belas artes



Nelson Alexander, professor de 'Anatomía y Modelo I':
"Vocês têm de se habituar a afiar os lápis com uma navalha. Não é com essas porcarias dos apara-lápis. Isso não serve para nada. Têm de aprender a pegar na faca e fazer uma ponta decente no lápis. Aparar os lápis é como um Kit-Kat. É um momento especial, em que o artista relaxa o corpo e a mente para a seguir estar a cem por cento para voltar a dar-lhe."

Diálogo entre Óscar Montero, professor de 'Dibujo I', e uma aluna:
- ... isto é se eu for desenhar um homem. Se fosse uma mulher, punha aqui umas bolas!...
- Bolas não, ó professor. Esferas!
- Não, bolas, mesmo! Hehehe... BOOOOOOOLAS!!!

Escutas do Núcleo: Serviço público ao Ernesto

O coitado do Ernesto foi ver o 50 Cent a julgar que ia ver...


...isto...





...e afinal saiu-lhe...

...disto.






















Ernesto, homem de família, ficou tão chocado que apanhou um grupo de criancinhas à porta do Pavilhão Atlântico para lhes explicar os malefícios "das bujardas que este delinquente sem graça vociferou". A câmara oculta do Núcleo captou esse momento:






Pobre Ernesto, que saiu defraudado pelo meliante. Em serviço público ao Ernesto e a todos os leitores incautos, eis um especial Escutas do Núcleo: escutámos os discos do 50 Cent e transcrevemos as partes relevantes:

You can call me player yeah, but I ain't playing fair (Uh huh)
Takers say I'm the hottest thang comin' this year (No doubt, ha ha ha)
In the hood niggas know, how I handle my problems
I walk up close, and I fo', fo' revolve 'em
Don't make me run to you, put the gun to you
Have yo ass on Phil Donahue explaining what the fuck I done to you
Thug niggas in the street saying I'm sunning you
Dude I'll smoke you every motherfucker under you
People say chill, but still I do, what I wanna do
For now on, when I speak, y'all niggas better listen
Why run against a thoroughbred when you ain't in no condition
Still got shit on ya nose, from all that ass you been kissing


Niggas screw they face up at me
On some real shit son, they don't want beef
I cock that, aim that shit out the window
Spray, there ain't a shell that bend my heat
Ya'll niggas better lay down, yeah I mean stay down
Get hit with a K round, ya ass ain't gon' make it
You niggas gon' get layed out in blood and ya brains out
Have you on the concrete, shiverin' and shakin'
I'm from Southside mothafucka, where the gats explode
If you feel like you on fire, boy drop and roll
niggas'll heat ya ass up cause they heart turns cold
Now you can be a victim or you can lock and load
The party jump, with shorty bouncin' that ass
I won't fuck, gimme a second, I'ma holla, I'ma see whats up
I got my razor in my hand, got my pistol in my trunk
Carve ya ass up nice, you play me like a punk


As your heart starts to race cause a robbery could turn into a homo-case
Co-opperate or Doc will have to op-porate, niggas will pop at you
Run the light, then pop at Jake, trust me son, niggas will go hard for that cake
These thirsty niggas will lurk, then you'll have to catch 'em and murk 'em


Lil' mama show me how you move it,
Better Yet put ya back into it,
Do ya thang like there aint nothin to it,
Shake..shake.. shake that ass girl.


Go, Go, Go, 50 in the house - bounce, y'all already know what I'm about.
The flow sounds sicker over Dre' drums nigga,
I ain't stupid - I see Doc and my dope come quicker.
Whoa!
Shorty' hips is hypnotic, she moves is so erotic, but watch - I'm like bounce that assss girl.
I get it crunk in here, I make it jump in here, front in here, we'll thump in here.
Oooohh.
I'm so gutter, so ghetto, so hood.
So gully, so grimey, what's good?
Outside, the Benz on dubs -
I'm in the club wit the snubs - don't start nothin', it won't be nothin'.



PS1: Ernesto: a Procuradoria Geral da República ligou e disse que tu és um cota conservador, censor, e, quem sabe até, racista. E diz que não te dá o dinheiro de volta.

PS2: Vostra : Já estás avisado porra, esta paneleirice de posts antigos arrumados à esquerda e em letrinha pequena não tá com nada. Mexe esse culo e trata de pôr isto com um aspecto decente, a menos que queiras sofrer as consequências.

Etiquetas:


quarta-feira, outubro 05, 2005

Nem 50 cêntimos o palhaço merece

Arriscando-me a ser catalogado de cota conservador, censor, e, quem sabe até, racista, tenho a dizer o seguinte: se eu mandasse, o guru do rap que dá pelo nome de 50 cent, neste momento, estaria preso no Estabelecimento Prisional de Lisboa por incitamento à violência de criancinhas de 12 anos, por obscenidades em público, e por ter dado um concerto que foi uma merda ? ao contrário do que estes colegas de bancada manifestaram e mais os jornalistas da praça, todos muitos excitados com esta coisa ? para eles ? exótica que é o hip hop.

Sim, eu sabia que o 50 cent apelava à violência e ao enriquecimento armado. Mesmo assim fui ao concerto porque não tinha mais nada para fazer, porque gosto de hip hop, e porque reconheço que 50 cent e sobretudo o senhor que lhe faz os ritmos ? doctor Dre, se não me engano ? têm uma personalidade própria, energia, e são mais sofisticados que a maioria dos rappers.

Não estava contudo preparado para aturar um grunho com a mania que já levou muitos tiros a dizer, de viva voz, em estilo de comício, a uns bons milhares de adolescentes, para irem comprar uma arma, começarem a matar e a roubar, para fumarem erva, embebedarem-se e para ?comerem conas portuguesas?.

Também não estava preparado para os mais de 50 samplers de tiros, que pontuaram todo o concerto: no meio das músicas, entre as músicas, ou sonorizando as bujardas que este delinquente sem graça vociferou. Uma coisa patética, um enjoo.

Por fim, foi deprimente a pobreza do palco ? certamente o mais despojado possível para que o troglodita ganhasse mais dinheiro com a coisa ?, e os minúsculos ecrãs que o ladeavam pareciam duas televisõezinhas, sistematicamente mostrando fotografias de armas reais.

Cereja em cima do bolo: musicalmente, uma bosta de todo o tamanho, o som horrível, nunca se perceberam os arranjos, abafados pela gritaria disparatada de 50 cent e seus compinchas.

Posto isto, juntamente com o 50 cent, se cá o Estaline mandasse, engaiolava também, na mesma gaiola, de preferência, os promotores portugueses do espectáculo, que sabiam certamente ao que iam, que sabiam de antemão que os miúdos que vêem o 50 cent em versão censurada na MTV não poderiam assistir àquele concerto obsceno, e que por isso deveriam ter estabelecido um limite de idade.

Como não mando, se não me dão o dinheiro de volta, apresento queixa na Procuradoria-Geral da República.





 

banner for http://www.eurobilltracker.com

Powered By Blogger TM