.
.

NÚCLEO DURO

 

Pub

A política é a arte de fazer alianças. É só derreter os fios de ouro roubados...







Pub







quinta-feira, agosto 05, 2004

A caneca do Ernesto é azul II



Uma caneca azul em cima de uma mesa não é sempre uma caneca azul em cima de uma mesa. Uma das primeiras lições que eu tive de jornalismo foi no ciclo, e valeu mais que as outras todas daí por diante.

O professor mostrou à turma um vaso com um manjerico - mas podia ser uma caneca, azul e tudo - e pediu aos putos para a descreverem. E nós descrevemos: é um vaso com um manjerico.

Depois o gajo virou o vaso. No lado que não estava virado para nós havia um autocolante, com uma mensagem qualquer lá escrita. Ou seja, quem estivesse a ver o vaso de frente descrevia uma coisa; quem visse o outro lado, descrevia uma coisa diferente.

A história da objectividade é como o vaso, e a caneca. Depende de onde está o observador. E como o observador não é um robot, a forma como ele vai descrever a caneca tem a ver com os conhecimentos, as inclinações, a ideologia dele.



Imaginem outra caneca azul. Imaginem que tinham uma estatística que dizia que há 100 milhões de pessoas com fome na China.

Descrevendo a caneca de uma maneira, pode-se escrever uma notícia assim: "Há 100 milhões de pessoas com fome na China."

Descrevendo a caneca de outra maneira, pode-se escrever a história assim: "Número de pessoas com fome na China reduziu-se 95 por cento em dez anos."

(Estou a inventar os números, não faço ideia de quantos chineses há com fome ou de quantos havia há dez anos, não interessa para o caso, os chineses estão aqui só a fazer de caneca ? caneca azul, atenção.)

Ambas as histórias seriam verdadeiras. Ambas as canecas seriam azuis. Ambos os observadores seriam honestos e estariam a contar a verdade. Mas, porque a perspectiva variava, uma caneca era mais azul que a outra.



0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home



 

banner for http://www.eurobilltracker.com

Powered By Blogger TM